sábado, 29 de novembro de 2014

As Musas Cegas - I



Bruxelas, um mês. De pé sob as luzes encantadas.
Em noite assim eu extinguiria minha alma
cantando humildemente. Fecharia os olhos
sob os anéis dos astros, e entre os violinos
e os fortes poços da noite descobriria
a ardente ideia da minha vida.
Em noites assim amaria o fogo
da minha idade. Cantaria como um louco este grande
silêncio do mundo, vendo queimarem-se nas trevas
as vísceras tensas e os ossos e as flores dos nervos
e a cândida e ligeira arquitectura
de uma vida.

Bruxelas com as traves da minha cabeça
e uma grinalda de carvões em torno dos testículos
de um homem
bêbado da sua idade. Cantaria com estes testículos
negros, as lágrimas, o coração ao meio do nevoeiro
derramando o seu baixo e aéreo sangue,
a sua dor, o lírico
fervor, o fogo de porta entre os símbolos nocturnos.

Era tão pura a ideia de que o tempo começava
depois do verde e fértil e exaltado
mês da carne. Vergada sobre o livro onde o meu rosto
ardia,
a vida esperava com sua torres
vibrantes, seus grandes lagos
límpidos. E eu adormecia
e sonhava um homem em voz alta, um vidro
incandescente, uma fina flor
vermelha colocada sobre a mesa. Era tão violenta
a ideia de cantar sem fim,
até que voz consumisse esta garganta sombreada
de estreitos vasos puros.
- Cantar fixa e fria e intensamente
sobre a minha rasa
luminosa vida, ou sobre os campos transparentes e sombrios
de bruxelas do mundo.

Herberto Helder

Esse Beck faz viajar

Jeff Beck - "Blue Wind" live

Um pedaço...


Moro nas fronteiras
Dos teus olhos
Com meu coração

sábado, 22 de novembro de 2014

Um pouco de calor

Saí à toa nessa madrugada
Sem saber porquê
A noite daqui é tão linda e faz me perder
Penso num belo horizonte em poder te ver
Sei que eu não tenho mais nada a perder

Meu carro que não quer mais andar
Essa noite que não quer terminar
Onde está você meu amor?
Eu preciso de um pouco de calor

Saí à toa nessa madrugada
Sem saber porquê
A noite daqui é tão linda e faz me perder
Penso num belo horizonte em poder te ver
Sei que eu não tenho mais nada a perder
Se eu não tenho mais nada a perder
No meu peito eu tenho você
É nessa estrada que eu quero estar
Eu quero o dia, a noite e o mar e cantar

Meu carro que não quer mais andar
Essa noite que não quer terminar
Onde está você meu amor?
Eu preciso de um pouco de calor

                                     だん なかがわ

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Não sou Guimarães, mas gostaria de ter uma Aracy.

“Serás tudo para mim: mulher, amante, amiga e companheira. Sim, querida, hás de ajudar-me, a escrever os nossos livros. Não só passarás à máquina que eu escrever, como poderás auxiliar-me muito. Tu mesma não sabes o que vales. Eu sei, e sempre disse, que tens extraordinário gosto, para julgar coisas escritas. Muito bom gosto e bom senso crítico. Serás, além de inspiradora, uma colaboradora valiosa, apesar ou talvez mesmo por não teres pretensões de ‘literata pedante’. E estaremos sempre juntos, leremos juntos, passearemos juntos, nos divertiremos juntos, envelheceremos juntos, morreremos juntos.”

— João Guimarães Rosa, em carta a Aracy [6/11/1946].

domingo, 16 de novembro de 2014

Tá chegando

“Envelhecer devia de ser bom. A gente ganhando maior acordo consigo mesmo.”

— João Guimarães Rosa, da novela “Buriti”, no livro “Corpo de baile”

sábado, 15 de novembro de 2014

E o destino não quis...

E o meu jardim da vida ressecou, morreu. Do pé que brotou Maria nem Margarida nasceu

terça-feira, 11 de novembro de 2014

O Verdadeiro Amor

"O verdadeiro amor é um calafrio doce, um susto sem perigos."

- João Guimarães Rosa, da novela “Buriti”.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Eurydice

Este é o traço em redor do teu corpo amado e perdido

Para que cercada sejas minha

Este é o canto do amor em que te falo 
Para que escutando sejas minha


Este é o poema – engano do teu rosto 
No qual busco a abolição da morte.



ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner, No Tempo Dividido

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

É lá, menino...

Só quem já viu esse cara ao vivo sabe o que nosso país tem de melhor na percussão.

Airto Moreira - "O Galho da Roseira"

domingo, 2 de novembro de 2014

Servidos?

Coragem

"O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem."
JGR

Ele vem aí... e eu estarei lá. Vamos?

Steve Hackett - "Supper`s Ready" live