quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

William Shakespeare

Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto... plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Great Gig In The Sky

Uma das coisas mais lindas que o ser humano já produziu! Não sei se já comentei aqui, mas muitos amigos na adolescência me chamavam de “Pink Floyd”. Talvez porque o disco “Dark Side of the Moon” não saia debaixo do meu braço. Era meu desodorante, eheheh

Pink Floyd – “The Great Gig In The Sky” – Live

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Solidão

“A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana.
A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro.
O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se, o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.”

Vinicius de Mores

domingo, 26 de dezembro de 2010

sábado, 25 de dezembro de 2010

O Natal E O Amor Estão Ao Redor…

Originalmente cantada pelo “The Troggs”, essa música me traz ótimas lembranças. A versão dos escoceses do “Wet Wet Wet” ficou muito bonita. No filme “Simplesmente Amor” (2003), Billy Mack canta uma versão natalina de forma hilária.

Em tempo, eu acredito no amor, e você?

Wet Wet Wet – “Love Is All Around”

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Silent Night

Não sei o que escrever e também não estou no clima! Ainda bem que existe a música…

Simon & Garfunkel – “Silent Night/7 O`Clock News”

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Chorando no Campo

A chuva cai chorando
E o meu amor vai e vem
No céu, no chão
A rede vai e vai levando...

A noite além da noite
Me faz lembrar o que eu não vivi
Toda essa história esse segredo
Memórias num vendaval...

Pela estrada enquanto eu passo
O cinema é só ilusão
Vou chorando pelo campo
No meio do temporal...

A chuva dá saudades
De um lugar que eu nunca fui
E o vento vai soprando
Um choro tão, distante

Pela estrada enquanto eu passo
O cinema é só ilusão
Vou chorando pelo campo
No meio do temporal.

Lobão – Bernardo Vilhena

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Esse era Peter Gabriel à frente do Genesis!

gabriel4 gabriel_fox

gabriel_oldman_musicalboxgabriel_rael gpeter1apeter3

lamb1lamb2

watcherrag13

palco4

Nossos Beatles!

Uma das melhores notícias do século atual: Os Mutantes resolveram se juntar, mas sem a Rita Lee, que até hoje não esconde as mágoas com o grupo – mas ela tem motivo! Assisti a um show desse reencontro em 2007 com Zélia Duncan substituindo Rita. Zélia mandou bem, óbvio que sem os agudos de Rita, mas para isso tinha uma backing vocal ajudando.

PS: Dinho e Sérgio Dias ainda são dois monstros da bateria e guitarra, respectivamente! Tocam demais!

O Mutantes – “Baby”

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O primeiro dentinho da Clara caiu hoje: foi lindo!

Thick as a Brick

O disco “Thick as a Brick” (1972) do Jethro Tull está sempre entre os cinco melhores de rock progressivo da história. O álbum na realidade tem apenas uma só canção: um poema escrito por um precoce garoto inglês que fala sobre os desafios de envelhecer! Mais progressivo que isso é difícil!

Abaixo um pequeno “pedaço” da obra!

Jethro Tull – “Thick as a Brick” ao vivo em 1978

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Child in Time

É de arrepiar! Um dos melhores momentos de Gillan à frente do Deep Purple! Detalhe para a guitarra que Blackmore está usando: não é uma Fender!

Deep Purple – “Child in Time”

domingo, 19 de dezembro de 2010

Pedaços de RVM

“Eu quero ter uma charrete como condução
Eu quero respirar ar puro sem poluição
Eu quero como os passarinhos aprender a cantar
Um mundo de sorriso e flores
A vida que eu quero levar
Aí eu posso pegar minha viola e tocar o que eu quiser
A tarde levantar da rede pra tomar café
Um dia vou ter tudo isso, ah se Deus quiser
Vou encontrar a paz perfeita”

“Há três roseiras na estrada
Já não há porto nem amor
Já houve o tempo em que eu buscava
A doce valsa que há no sol”

“Já houve quem me desse um lindo castelo velho”

“Tudo em volta estava lindo
Tudo estava como um conto em luz
Pássaros brincavam
Flores lindas conversavam
Sobre o amor”

“Olhe tudo do jeito mais lindo que conseguir ver”

Agora mais nervoso!

Um show de bom gosto nessas duas músicas que encerram o álbum “Duke”! Considero este o melhor disco pop do Genesis, se é que esse disco é pop, afinal, quantas bandas “pops” são e foram capazes de criar e tocar desta forma?

PS1: Quando a banda está no “ápice” (em 4:47) Phil sai da batera e canta novamente a letra de “Guide Vocal”, culminando em um clima lindo entre voz e guitarra! Demais!

PS2: Nesta música o pedal de baixo aparece de forma marcante.

Genesis – “Duke`s Travels e Duke`s End”

sábado, 18 de dezembro de 2010

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Tempo de Reflexão!

I Love This Game!

Já ganhei uma medalha de bronze jogando pelo time da ferramentaria do Senai “Ary Torres”. Pois é, se fossemos bom teria sido de ouro, eu sei, hehehe… De qualquer forma, o basquete sempre me fascinou.

Gostaria de dedicar este post a um dos melhores armadores de toda a história da NBA: Earvin “Magic”Johnson!

PS: Nunca tinha reparado: O Magic Johnson é a cara do meu irmão do meio!

De repente cai o nível e eu me sinto um imbecil repetindo, repetindo, repetindo…

Maria Rita – “Não Vale a Pena”

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Nada de malhar o Judas!

Rob Halford canta muito! Essa música é um hino do metal: Metal Gods…… pammm, pam, pam, pammmm

Judas Priest – “Metal Gods” – live in 1982

Look, see how the world goes round…

Wich Way The Wind Blows

Look, see how the world goes round,
Look, see how the day goes on,
You, it won't stop to help you
Me, it won't stop to help me.
All the time a wind is blowing
Where it's blowing next we don't know...

Look, some spend their days in slumber,
Look, someone is weary toiling,
Home, be my guest and come back home.
Come, you'll be better off at home.
All the time someone is dying,
Where he's dying next we don't know...

I sit in the sunset
Watching God's evening,
Receding so gently now
Into the Westlands.
I think I'm at peace now
But of nothing am I certain
Only which way will the wind blow next time?

You, you might never have been saved
Ah, well you might not have been so brave,
Time would have shown the parting waves
And you slipping under Autumn's gaze
And now I know that nothing is what it ever seems.

I sit in the sunset
Watching God's evening,
Receding so gently now
Into the Westlands.
I think I'm at peace now
But of nothing am I certain
Only which way will the wind blow next time?

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

The Polyphonic Spree

Coral de Rock Sinfônico? Uma seita de malucos? Sinceramente não sei classificar, mas eu gosto :-) São mais de 20 membros no palco vestidos de batinas, dançando, tocando e cantando felizes. Conheci essa banda através de um game (isso mesmo, um game!) de divulgação de um de seus discos em 2004.

The Polyphonic Spree – “Light and Sun”

domingo, 12 de dezembro de 2010

A Maldição do Professor

Conta a lenda que, quando Deus liberou o conhecimento sobre como ensinar os homens, determinou que aquele "saber" ficaria restrito a um grupo muito selecionado de sábios. Mas, neste pequeno grupo, onde todos se achavam "semi-deuses", alguém traiu as determinações divinas...
Aí aconteceu o pior!!!!!!........
Deus, bravo com a traição, resolveu fazer valer alguns mandamentos:

1º - Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
2º - Não verás teu filho crescer.
3º - Não terás feriado, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
4º - Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais terás úlcera.
5º - A pressa será teu único amigo e as suas refeições principais serão os lanches, as pizzas e o china in box.
6º - Teus cabelos ficarão brancos antes do tempo, isso se te sobrarem cabelos.
7º - Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes 5 anos de trabalho;
8º - Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
9º - Trabalho será teu assunto preferido, talvez o único.
10º - As pessoas serão divididas em 2 tipos: as que ensinam e as que não entendem. E verás graça nisso.
11º - A máquina de café será a tua melhor colega de trabalho, porém, a cafeína não te farás mais efeito.
12º - Happy Hours serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contato com outras pessoas loucas como você.
13º - Terás sonhos, com cronograma, planejamento, provas,  fichas de alunos, provas substitutivas e não raro, resolverás problemas de trabalho neste período de sono.
14º - Exibirás olheiras como troféu de guerra.
15º - E, o pior........ inexplicavelmente gostarás de tudo isso...

sábado, 11 de dezembro de 2010

O Diabo é o Pai do Rock?

Ao comentar com uma aluna sobre o “Golpe de Estado”, resolvi procurar e mostrar para ela a grande “Noite de Balada”, música que ouvi e curti muito. Já comentei que o Golpe para mim foi e é uma das melhores bandas de Hard Rock deste país.
Procurando por algum vídeo desta música, fiquei surpreso ao descobrir que Catalau (grande vocalista e poeta do Rock Nacional) se converteu e agora é pastor de uma igreja evangélica no litoral de São Paulo! O mesmo já tinha aconteceu com o Rodolfo (ex-Raimundos). A propósito, a única semelhança entre Rodolfo e Catalau é esta viu!
Gostaria de deixar claro que acho importante Catalau ter deixado sua vida de drogas e loucuras para trás, afinal, o cara pegava pesado. Eu, devido a minha profissão, sei e já presenciei vários problemas que o vício trás e pode causar. Na minha opinião, se você quer viajar, ou vá na CVC ou ouça “Atom Heart Mother” do Pink Floyd!
Também não acho certo o que algumas pessoas dizem: “Ah, o cara aprontou a vida toda e agora vira crente, se arrepende, isto não é certo,etc, etc…”. Isto porque acredito que todos merecem e tem a chance de mudar de vida e se arrepender de seus pecados. E isso pode acontecer sem a pessoa se converter, ter ou mudar de religião!
Agora, critico o que parece ser um senso comum: Rock é do Diabo! Ou seja, roqueiro tem que ser drogado e uma pessoa com religião não pode gostar de Rock!?!? Poxa, eu já vi o Rock ajudar muita gente, inclusive este que vos escreve. Em muitos momentos da minha vida (felicidade, tristeza, dúvida, solidão, paixão) eu procurei uma música certa que me ajudasse direta ou indiretamente. Já postei o que aconteceu com uma antiga banda  que mantinha com alguns amigos: fomos proibidos de tocar porque Rock era música do demo!
Em um documentário do Iron Maiden se não me engano o empresário da banda comenta que quando o Iron lançou “The Number Of The Beast” a banda foi perseguida e vários discos foram queimados. Bruce Dickson afirma que eles não adoravam e nem adoram Satã. Simplesmente fizeram uma letra sobre o assunto. Falando em Iron Maiden, fui em um show do Metallica (na turnê do lançamento do “Black Album” e um policial me questionou várias vezes se eu portava drogas, afinal, “a galerinha que ouvia aquele tipo de música gostava de um baseado”! Será que alguém ja fez uma pesquisa que relacione o tráfico e o consumo de entorpecentes com o gênero músical mais apreciado? Aposto que teríamos uma grande surpresa!
Resumindo: Você pode ser músico, roqueiro, jazzista, bluseiro, sambista, ou seja lá o que for sem precisar ser um drogado ou louco. E ao mesmo tempo, se você quiser, você pode ter uma religião que vá ao encontro do que você acredita. Inclusive para alguns o Rock é uma religião! Então meu caro Catalau, continue pregando aos seus fiéis, continue livre das drogas e do que fazia mal para você. Mas, eu gostaria de lhe ver novamente cantando, tocando e fazendo poesia para nós, amantes do bom e velho Rock`n Roll. Que tal? Afinal, você tem fiéis de bom coração  na sua igreja, mas também existem muitos roqueiros de bom coração que estão neste momento ouvindo um bom disco do Led Zeppelin! Uma coisa não exclui a outra.
Ah, eu tOambém acredito que é possível não ter uma religião e ser uma pessoa boa, honesta e digna!

Novidades em 2011

Domingos Mariotti (Flauta) e Fernando Motta (guitarra e baixo) foram dois dos fundadores da banda “Recordando o Vale das Maçãs”. A dupla está finalizando o CD “Reunião” com previsão de lançamento para o primeiro trimestre de 2011. Abaixo um gostinho do que promete ser um grande álbum. Valeu pelo vídeo, Domingos.

Motta e Domingos – “Duas Meninas”

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Me lembra muita coisa… muita…

I am the one who guided you this far,
All you know and all you feel.
Nobody must know my name
For nobody would understand,
And you kill what you fear.
I call you for I must leave,
You're on your own until the end.
There was a choice but now it's gone,
I said you wouldn't understand,
Take what's yours and be damned.

Genesis – “Guide Vocal”

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

John Lennon (09/10/1940–08/12/1980)

30 anos após seu assassinato suas músicas continuam marcando gerações, momentos e a vida de muitos de nós. Give peace a chance…

O melhor show nunca gravado!

Infelizmente não há registro na íntegra dos shows da última turnê de Peter Gabriel cantando à frente do Genesis. Peter até hoje não se conforma com isso (e nem eu!!!).

Assisti aqui no Brasil em 2005 ao show do “The Musical Box”, banda considerada como a melhor banda cover do Genesis daquela época. Os caras recriaram, com base em vídeos, depoimentos, fotos e a ajuda de membros da banda como Gabriel, Collins e Hacket, toda a atmosfera e clima do momento, sem falar nos equipamentos e figurino. O baterista é igualzinho Phil Collins, além de cantar bem.

Um dos pontos marcantes do show foi a execução de “The Lamia”. Chorei… :`-)

PS: A última vez que vi Wander Taffo, grande guitarrista, fundador da Escola de Música e Tecnologia  (EM & T) e membro do Radio Táxi, foi no show do “The Musical Box”. O cara garantiu seu ingresso VIP! R.I.P.

O vídeo abaixo é uma montagem, mas dá para ter uma idéia do que rolava nos shows. O áudio não ajuda muito, mas não importa. É um documento histórico!

Genesis – “The Lamia” ao vivo

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Rocket Man – ao vivo

LOGO PLANO B

O Louco

E fala aos constelados céus
De trás das mágoas e das grades
Talvez com sonhos como os meus ...
Talvez, meu Deus!, com que verdades!

As grades de uma cela estreita
Separam-no de céu e terra...
Às grades mãos humanas deita
E com voz não humana berra...

Fernando Pessoa

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Tudo começou quando papai não quis me levar ao circo

18 de Novembro de 1990 foi a data de lançamento deste clássico do terror de Stephen King. Tim Curry interpreta o palhaço Pennywise nesta minissérie que tem aproximadamente 3 horas de duração. Gosto dos filmes baseados nos livros de King. Infelizmente ainda não li nenhuma obra dele, mas filme já vi vários. Tudo bem que “It” tem uma ou outra forçada de barra. Mas que filme de terror  não tem?

PS: Em breve teremos uma adaptação de “It“ para o cinema. Sinistro…

domingo, 5 de dezembro de 2010

A Velha Debaixo da Cama :P

Meu pai tinha um compacto com essa música. Nos divertíamos ouvindo isso, hehehe

Geraldo Nunes – “A Velha Debaixo da Cama”

Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor

Não saia desse planeta antes de assitir a um show de Milton Nascimento. O show do disco “Pietá” está vivo em minha memória e até hoje me causa arrepios. Teve até uma versão de “Going to California” do Led. Quer saber com quem Milton já tocou? Wayne Shorter, Pat Metheny e Peter Gabriel, dentre outros nomes de respeito da música mundial.

“Pensei no tempo e era tempo demais
Você olhou sorrindo pra mim
Me acenou um beijo de paz
Virou minha cabeça

Eu simplesmente não consigo parar
Lá fora o dia já clareou
Mas se você quiser transformar
O ribeirão em braço de mar

Você vai ter que encontrar
Onde nasce a fonte do ser
E perceber meu coração
Bater mais forte só por você”

 

Milton Nascimento – “Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor” (Marcio Borges e Lô Borges)

sábado, 4 de dezembro de 2010

Fresta

Em meus momentos escuros
Em que em mim não há ninguém,
E tudo é névoas e muros
Quanto a vida dá ou tem,

Se, um instante, erguendo a fronte
De onde em mim sou aterrado,
Vejo o longínquo horizonte
Cheio de sol posto ou nado

Revivo, existo, conheço,
E, ainda que seja ilusão
O exterior em que me esqueço,
Nada mais quero nem peço.
Entrego-lhe o coração.

Fernando Pessoa

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Não tem nada a ver com sabonete :-)

Lembrei de quando tocava este som do Doves com uma velha banda de amigos. Good times… Precisamos voltar a ensaiar novamente!

“So why
Is it so hard to get by?”

Doves – “Pounding”

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Ziggy Stardust

LOGO PLANO B

I Need You

LOGO PLANO B

JT e PC

Dois monstros do rock progressivo juntos! Fala a verdade, Ian Anderson tem estilo… o cara parece que saiu debaixo de alguma ponte de Sampa :-P

Jethro Tull – “Pussy Willow” – ao vivo com Phil Collins na bateria

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Plano B - Release

A banda Plano B foi formada em 2007 pelos músicos Henry Yamamoto (violão, flauta, teclado e voz), Ulisses Barbieri (violão, baixo, guitarra e voz) , José Augusto (bateria, teclado e voz) e Edson Izidro (baixo, violão, guitarra, bateria e voz).

los giustos 2

Interpretando músicas que datam dos anos 60 até o presente, a banda prima pela garimpagem de um repertório de músicas pop (internacionais e nacionais) que não são freqüentemente executadas, mas que marcaram época.

los giustos 7

A memória afetiva dos ouvintes que viveram suas adolescências nos anos 60, 70, 80 ou 90, combinada ao trabalho que o grupo imprime às interpretações é o resumo do sentimento que unem platéia e banda num momento de mútua contemplação de boa música.

CIMG0819

O nome plano B faz alusão a uma outra saída, uma  alternativa, uma banda que toca músicas conhecidas, mas sempre preocupada com uma nova "levada" e novos arranjos, sem perder a essência das músicas originais.

Em breve novas apresentações e novidades!

Dia Mundial da Luta Contra a AIDS

A Estrela Polar

Eu vi a Estrela Polar
Chorando em cima do mar
Eu vi a Estrela Polar
Nas costas de Portugal

Desde então não seja Vênus
A mais pura das estrelas
A Estrela Polar não brilha
Se humilha no firmamento

Parece uma criancinha
Enjeitada pelo frio
Estrelinha franciscana

Teresinha, Mariana
Perdida no Pólo Norte
De toda a tristeza humana

Vinícius de Moraes