quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal com “A Voz”

Que Deus continue abençoando a todos nós: músicos (amadores ou profissionais), candidatos a músicos ou simplesmente amantes da boa música. O importante é que essa linguagem universal continue por aí: ensinando, incomodando, animando, inspirando e sempre, mas sempre, surpreendendo!

“A Jolly Christmas from Frank Sinatra” - 1957.

sábado, 19 de dezembro de 2009

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

My Pictures of You

Linda e triste!

“There was nothing in the world that I ever
wanted more than to feel you deep in my heart
there was nothing in the world that I ever
wanted more than to never feel the breaking
apart all my pictures of you”

The Cure – My Pictures of You – Live 1991

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Bob Cuspe

Eita saudade da revista “Chiclete com Banana”. Divertida e inteligente… grande Angeli!

domingo, 13 de dezembro de 2009

In the Humdrum

Uma música, um sentimento, uma vida… uma vida?
Peter Gabriel – 1978 – “Humdrum”

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Have I Offended Someone?

Nunca trabalhei tanto como neste ano, também  nunca refleti tanto sobre muitas coisas na vida. Essas duas últimas semanas foram bem tensas, mas estou conseguindo entregar tudo a tempo e com uma boa qualidade. Ufa… A fim de começar a mudar o astral das coisas, que tal um ótimo músico com um bom humor afiado, crítico e ousado? Sim… é ele: Frank Vicent Zappa!! Sem dúvida um dos maiores gênios da música.

O vídeo abaixo foi extraído do DVD “Does Humor Belong In Music?” (1986). O vídeo é divertidíssimo, a banda muito boa e Zappa.. bom, Zappa é Zappa…

Frank Zappa – Bobby Brown Goes Down - (1986)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

domingo, 29 de novembro de 2009

Adorável Professor

O músico Gleen Holland começa a lecionar música para conseguir dinheiro e escrever uma sinfonia. A coisa se complica pois os alunos não tem o mesmo interesse, ou pelo menos, não enchergam a música como seu mestre. Para tornar a coisa ainda mais dramática Holland se torna pai de uma criança deficiente auditiva. Dentre as partes legais do filme, vale destacar o momento em que o professor mostra para os alunos a relação entre uma escala utilizada no rock e outra utilizada na música clássica.

Grande atuação de Richard Dreyfuss com um final surpreendente e uma trilha sonora de tirar o chapéu.

Mr. Holland`s Opus

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

14 Bis Instrumental I e II

Já postei sobre o 14 Bis anteriormente. Agora é só ouvir.

PS: O cara do violino é Marcos Vianna, membro fundador de outra grande banda de rock progressivo nacional: Sagrado Coração da Terra.

14 Bis - “Instrumental”

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Under Pressure

Adoro comprar um bom cd ou dvd, chegar em casa, rasgar o plástico e ao assistir/ouvir a obra me surpreender e pensar: Nossa, valeu muito a pena! Com o DVD “Rock Montreal” do Queen isso aconteceu! Gravado ao vivo no Forum de Montreal em Novembro de 1981 temos um dos últimos shows do Queen à moda antiga. Naquele ano a banda tinha passado pelo Brasil quebrando o recorde de público pagante em um único show: 131 mil brasileiros lotando o estádio do Morumbi em São Paulo.

Resolvi postar a perfomance da banda em “Under Pressure” por alguns motivos: Primeiro, a música é muito boa; segundo, é fantástico ver a performance de Freddie Mercury ao vivo; em terceiro lugar, mesmo sem a presença de David Bowie (que canta com Freedie na versão original) veja como o baterista Roger Taylor não deixa a peteca cair; em quarto e último lugar, foi a primeira vez que a banda tocou essa música ao vivo. É de encher os olhos de lágrimas e a alma de alegria!

 

Queen - “Under Pressure” - 1981

domingo, 8 de novembro de 2009

Duas Séries, Dois Temas… e Duas linhas de Baixo Marcantes!

Se você tem minha faixa etária deve com certeza conhecer essas duas séries. Eu gostava das duas!

Vale a pena perceber como os temas eram muito bem feitos e de ótima qualidade. Difícil hoje ouvir músicas trabalhadas assim. E não estou falando só de técnica, mas realmente de “feeling”.

Em especial, a linha de baixo de Spectreman sempre me deixou impressionado, mesmo quando eu não sabia o que era um baixo, afinal, eu tinha no máximo 6 anos nessa época.

Já em Chip`s, temos um baixo Funk de matar! Dá-lhe groove!

Spectreman

 

Chip`s

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Anarquia, oi oi!!

“Não devemos temer os que detem o poder… se eles são um, nós somos um milhão…”

Quem lembra?

Garotos Podres - “Mais Podres do que Nunca” - 1985

sábado, 31 de outubro de 2009

The Language of Light

“Estamos alugando um espaço minúsculo no universo do som e fazendo nosso humilde trabalho de organizar um átomo do fragmento sônico que passaria despercebido por muitas pessoas”.

 

 

 

Keith Jarret – pianista de Jazz (2004)

sábado, 24 de outubro de 2009

Which Way The Wind Blows

Se depois de ouvir essa música você ainda achar que não existe  nada de lindo nesse mundo, realmente você não merece estar aqui!

Anthony Phillips foi o primeiro guitarrista do Genesis, ficando com a banda até 1970. Seu disco “Geese & the Ghost” de 1977 toca o coração pela beleza dos arranjos. E óbvio,  temos a participação de músicos de “prima”, como Phil Collins e Mike Rutherford.

PS: Phillips participou da elaboração de “The Musical Box” do  álbum “Nursery Crime” do Genesis, onde temos a estréia de Phil Collins na Bateria e Steve Hackett na guitarra, já substituindo Phillips.

“Which Way The Wind Blows” – Anthony Phillips

domingo, 18 de outubro de 2009

Barbeiro e Bateria

Demais... curto coisas assim! Figaro...

video
Andrea Vadrucci tocando um pedaço do "Barbeiro de Sevilha"!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Dois Maestros do Rock!

Já que John Entwiltle faria 65 anos no dia 09 desse mês resolvi homenagear dois dos maiores e mais influentes baixistas da história do Rock! Um é dono de uma técnica fantástica e velocidade apurada (sem contar, óbvio, o bom gosto); O segundo foi simplesmente o resposável pela maioria dos arranjos musicais de uma “bandinha” chamada Led Zeppelin!

John Entwiltle (1944-2002)– The Who

 

John Paul Jones (1946- ) – Led Zeppelin

Who`s Next?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Química e Música

Em 1863 John A. R. Newlands propôs uma classificação dos elementos químicos que ficou conhecida como “Lei das Oitavas”. Ao relacionar os elementos como se fossem as 7 notas músicais (do, re, mi, fá, sol, lá e si), Newlands procurava uma periodicidade entre os elementos químicos conhecidos na época. Após o trabalho louvável do russo Dimitri Mendeleev em 1869 e posterior correção do inglês Henry G. L. Moseley em 1913 foi que chegamos à tabela periódica atual.

Imaginem esses caras hoje assistindo o vídeo abaixo!!!

Meet the Elements – “They Might Be Giants”

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Chickenfoot

Não sei se podemos chamar essa banda de um “supergrupo” como toda a imprensa está dizendo… De qualquer forma o disco de estréia é muito bom, lembrando os bons tempos do Van Halen (rock, groove, pegada…). Eu ouvi e gostei!

Chickenfoot é formado por:

Joe Satriani – guitarras

Michael Anthony – baixo

Sammy Hagar – vocal

Chad Smith - bateria

sábado, 19 de setembro de 2009

Play Me My Song…

She's a lady, she's got time,
Brush back your hair, and let me get to know your face.
She's a lady, she is mine.
Brush back your hair, and let me get to know your flesh.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Buddy Rich (1917-1987)

Um dos maiores mestres das baquetas aparece no episódio 38 dos Muppets fazendo um duelo com o Animal. Quem é da minha geração sabe como era bom e divertido os Muppets. Não me lembro de ter assitido o episódio abaixo, mas graças ao YouTube e a algum fã generoso temos agora este prazer de ver e rever esse grande músico.

Buddy Rich vs Animal (1980)

sábado, 12 de setembro de 2009

Bunny

O Curta abaixo contém trilha sonora do californiano Tom Waits (“O Selvagem da Motocicleta” e “Drácula de Bram Stocker”) e sua esposa Kathleen Brennan. Gostando ou não da trilha, o que interessa é a mensagem e a beleza da animação. Gaste cerca de 7 minutos de sua vida vendo este curta e muito mais tempo refletindo sobre ela. Muito lindo!

 

Bunny – Oscar de Melhor Curta-metragem de Animação (1998).

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

SRV

Em 1983 a coisa não andava muito boa para a guitarra blues (e para a guitarra em geral, com exceção de alguns poucos nomes como, por exemplo, Eddie Van Halen). Eis que surge um texano que causa um furor no meio musical: Stevie Ray Vaughan. Para quem não está muito acostumado com o Blues, SRV toca nas famosas “Let`s Dance” e “China Girl” de David Bowie.

Com sua banda Double Trouble (inicialmente com Chris Layton (bateria)  e Jackie Newhouse (baixo)) o cara lançou discos fantásticos. Stevie morreu em 27 de Agosto de 1990 em um acidente de helicóptero junto com alguns membros que trabalhavam com Eric Clapton (eles voltavam de uma apresentação).

A música que coloco abaixo é um show de emoção e sentimento. Stevie compôs para sua esposa. Eu tinha esse show em VHS, gravado da TV Cultura (que por sinal sempre apresentou vários shows memoráveis!).

Stevie Ray Vaughan – Lenny (live)

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Som Imaginário

A música é maravilhosa, a pegada é rock`n roll demais, os músicos são fantásticos e, mais uma vez, Zé Rodrix dando o recado! Essa banda foi criada para acompanhar Milton Nascimento, e tem 3 discos muito bons.
Formação original: Wagner Tiso – piano e órgão, Tavito – violão, Luiz Alvez – baixo, Robertinho Silva – bateria, Frederyko – guitarra, Zé Rodrix – órgão, percussão, voz e flautas.”
O vídeo não está 100%, mas vale muito, mas muito, mas muuuuuuuuuuito a pena!
Som Imaginário – Feira moderna (1970)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Jesus Numa Moto

Preso nessa cela
De ossos, carne e sangue
Dando ordens a quem não sabe
Obedecendo a quem tem

Só espero a hora
Nem que o mundo estanque
Pra me aproveitar do conforto
De não ser mais ninguém

Eu vou virar a própria mesa
Quero uivar numa nova alcatéia
Vou meter um "Marlon Brando" nas idéias
E sair por aí

Pra ser Jesus numa moto
Che Guevara dos acostamentos
Bob Dylan numa antiga foto
Cassius Clay antes dos tramentos
John Lennon de outras estradas
Easy Rider, dúvida e eclipse
São Tomé das Letras Apagadas
E Arcanjo Gabriel sem apocalipse

Nada no passado
Tudo no futuro
Espalhando o que já está morto
Pro que é vivo crescer

Sob a luz da lua
Mesmo com sol claro
Não importa o preço que eu pague
O meu negócio é viver

Sob a luz da lua...
Mesmo com sol claro...
Preso nesta cela...

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

John Scofield – 3 décadas de bom gosto

Passando pelo fusion, bebop, eletrônica e jazz, John Scofield é há mais de 30 anos um dos mais inovadores mestres do improviso na guitarra. Vale a pena conhecer seu álbum “This Meets That” (2007) acompanhado do baixista Steve Swallow e o baterista Bill  Steward. Nascido em 26 de Dezembro de 1951,  já tocou com Miles Davis, Chet Baker, Herbie Hancock e Billy Cobham.

Outra grande obra (que conta com o trio  Martin, Medesky & Wood) é “A Go Go” de 1998.

“Nos anos 60 um guitarrista de rock também gostava de John Coltrane e Doc Watson. A mentalidade hippie parecia se estender a toda música. Lembro de pessoas legais falando sobre todos os estilos”. – John Scofield

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Human Synthesizer

Uau… Já imaginaram ser o Luthier desse “instrumento”? :-P

Humanthesizer

sábado, 8 de agosto de 2009

Sérgio Duarte

Quando ainda era um estudante de graduação fui com uns amigos a um show memorável: Maurício Einhorn, Arismar do Espírito Santo e  Heraldo do Monte. Fiquei impressionado com a técnica e qualidade dos músicos e acabei me interessando pela gaita. Após algum tempo descobri que uma aluna era gaitista. Ela me passou o telefone do “melhor professor de gaita do Brasil”.

Fiz 2 anos de aula com o Serginho e aprendi muita coisa sobre a Harmônica, tanto da diatônica (blues) quanto da cromática. Infelizmente tive que parar as aulas e faz muito tempo que não exercito, então estou mais do que enferrujado.

Serginho possui uma banda chamada Entidade Joe, e além de ter tocado com o Nasi (Nasi e os Irmãos do Blues) e no último disco de um dos melhores guitarristas brasileiros, Faísca, ele também foi cordenador do curso de gaita da Escola de Música e Tecnologia de São Paulo (EMT). Valeu Serginho!

Sérgio Duarte – Sweet Home Chicago

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Welcome to the Hotel California

Com certeza um dos solos mais memoráveis da história do rock. Pode pesquisar, onde tem o título “100 Greatest Guitar Solos” lá está o Eagles e seu hino.  Ah sim, mais uma banda em que o baterista canta. Trabalho difícil esse…

Eagles – Hotel California

domingo, 2 de agosto de 2009

Bobby McFerrin

Assisti a um show do Bobby ano passado no Teatro Municipal de SP. Bom, quem viu sabe do que este homem é capaz de fazer usando sua voz.

Veja abaixo uma amostra de Bobby mostrando como qualquer ser humano é capaz de reconhecer uma escala pentatônica, escala de 5 notas que possui origem mongólica e japonesa. Cante com o Bobby!!!

World Science Festival 2009: Bobby McFerrin Demonstrates the Power of the Pentatonic Scale from World Science Festival on Vimeo.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Steve Hackett

Steve Hackett foi guitarrista do Genesis entre 1970 e 1977. Em 1986 fundou o grupo GTR junto com Steve Howe (Yes). É de Steve um dos solos mais lindos de guitarra já gravados (Firth of Fifth) e também um dos mais belos e perfeitos discos já produzidos. O que torna esse disco tão especial?  Simples, ele não agrada somente guitarristas e sim qualquer um que queira ouvir uma música bem trabalhada e de excelente bom gosto!

“Voyage of the Acolyte” de 1975 é perfeito! O disco abre com a arrasadora “Ace of Wands”, um show de bom gosto. Já li uma vez que esse disco pode ser considerado como o melhor disco que o Genesis nunca gravou já que apenas Tony Banks não participou do álbum. Segundo álguns, um dos motivos que fez com que Hackett deixasse a banda foram as suas desavenças com Tony. Bom, fofocas a parte, veja o time que toca no álbum: MIke Rutherford (baixo), Phil Collins (bateria e vocais), John Hackett (flauta, teclados), John Acock (teclados, mellotron), Robin Miller (sopros), Nigel Warren-Green (celo) e Sally Oldfield (vocais).

Uma curiosidade: a esposa de Hackett, Kim Poor foi quem fez a arte deste e de outros álbuns do artista. Ela é brasileira!

Ace of Wands – Steve Hackett (ao vivo em 2004 na Hungria)

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Toca Rauuuuuuuuuuuuuuuuulllllll

Essa é para aqueles que tem ou tiveram uma banda e já ouviram muitas e muitas vezes a frase: Toca Rauuuuuuuullll. Ahauahauhauaau

Irlandês tocando Raul Seixas

domingo, 26 de julho de 2009

A Requiem for the Post War Dream

O que dizer sobre este disco? Ouça, ouça, ouça… é uma obra muito linda. Me traz maravilhosas recordações da adolescência. Lembro até hoje do impacto que sofri e sofro ao ouvir a primeira faixa e os solos de sax desta obra. O Pink Floyd tem discos muito melhores, eu sei, mas esse disco tem algo que não consigo explicar.  Embora o disco tenha sido encabeçado por Roger Waters, é impossível não se render aos solos e “bends” precisos de David Gilmour.

Mesmo sendo um disco que gera muita controvérsia entre os próprios membros da manda (que estavam em um quebra-pau lascado na época) e sem a presença do saudoso Richard Wright (1943-2008), não se intimide: Feche os olhos e boa viagem!!!!

image

The Final Cut – Pink Floyd (1983)

sábado, 25 de julho de 2009

Satriani, Wakeman, East, Powell…

Durante um período da minha adolescência eu considerava Joe Satriani o maior guitarrista do mundo! Quando somos adolescentes e somos fissurados em música uma característica é sempre eleger alguém como o melhor. Ou se não elegemos esse alguém, ficamos sempre em busca do melhor: o melhor guitarrista, a melhor banda, o maior baixista, etc, etc, etc…

Quanto mais estilos musicais vamos aprendendo a conhecer,  mais bandas e músicos vamos descobrindo e/ou redescobrindo, percebemos que a tarefa de eleger “o cara” é praticamente impossível. Cada um tem seu estilo, sua influência, pegada, e contribuição para a música (isso sim é o importante!). Satriani hoje não está no pedestal onde eu o colocava, mas de qualquer forma o considero importante para a minha geração e para a formação de grandes músicos da época. Afinal, ele foi professor de Steve Vai, Kirk Hammet (Metállica) e Alex Skolnick (Testament e Alex Skolnick Band – voltada para o Jazz).

Mesmo que  não goste de determinado estilo ou artista é importante conhecê-lo, afinal, em último caso, é aquilo que você não está disposto a repetir ou reproduzir, certo?

O vídeo abaixo foi extraído do show “Una noche a Sevilla”, gravado em 19 de Outubro de 1991. Os músicos que participaram desse evento, que tinha como foco principal a guitarra, foram: Joe Satriani, Steve Vai, Brian May, Nuno Bittencourt, Joe Walsh, Paul Rodgers, Rick Wakeman, Gary Cherone, Steve Ferrone, Cozy Powell, Neil Murray, Nathan East, Maggie Riley. Vi esse show na época em uma fita VHS emprestada de um amigo do trabalho. Eita tempo bom…

Joe Satriani – Always with me, always with you

terça-feira, 21 de julho de 2009

ELP

O show deste trio britânico foi um dos melhores e maiores espetáculos que já presenciei. Keith Emerson tocando (e esfaqueando!) seus teclados, Carl Palmer fazendo divisões e malabarismos incríveis e o vocal/baixo/guitarra de Greg Lake formam os ingredientes que empolgam até mesmo aqueles que consideram o rock progressivo chato.

Diz a lenda que Jimi Hendrix quase tocou com os caras! Já imaginou? A banda se chamaria HELP!!?!?! Pelo que pesquisei parece que houve um problema de agenda que impossibilitou o encontro dos caras. Bom, não importa. Hendrix foi um mestre no que fez e criou. O mesmo vale para Emerson, Lake and Palmer.

Após um álbum que não obteve muito retorno por parte da crítica e público (Love Beach) em 1978, a banda se desfez. Em 1985 voltaram com o grande baterista Cozy Powell (que tocou no Rainbow de Ritchie Blackmore!). Palmer não voltou porque estava enchendo os bolsos de grana tocando com o Asia (lembra das trilhas dos comerciais do cigarro Hollywood?).

Bom, em 1992 os caras voltaram, gravaram um novo álbum e saíram em turnê. Eu assisti o show deles em 1997 (ou 1998). A data eu não lembro, mas do show é outra história. Os caras terminaram tocando trechos do álbum Pictures at an Exhibition. Eu vi, eu vi…

Welcome back my friends to the show that never ends…

ELP – Hoedown (live)

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Burn, baby, burn…

Para alguns este filme de 1977 não é mais do que um “enlatado americano”… mas considero “Saturday Night Fever” detentor de uma trilha sonora muito boa. O filme retrata uma época em que as músicas dançantes não pareciam panelas de pressão e era possível a distinção entre cada uma…

John Travolta, Karen Lynn Gorney, Donna Pescow, Barry Miller, entre outros são os coadjuvantes. Os astros principais? Bee Gees, The Trammps, KC an the Sunshine Band, Kool and the Gang, Tavares, Walter Murphy, dentre outros. Disco Inferno!!!!!!!!! :-D

Os Embalos de Sábado a Noite - 1977

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Don`t Stop Believin`

Steve Perry é sem dúvida dono de uma das vozes mais bonitas do rock`n roll. Nesse clássico podemos conferir o Journey mostrando porque até hoje faz escola e tem seguidores fiéis. Os membros do Dream Theater, por exemplo, são fãs declarados da banda.

 Journey - “Don`t Stop Believin`” - Live

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Mundo Animal?

Por favor, veja este vídeo até o fim. Mesmo que você se incomode em algum momento, não desista. Prometo que a lição será inesquecível.

Detalhe: o vídeo foi capturado por um turista!

Aposto que lágrimas brotaram e brotarão! – Demais!!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Mago das Baquetas

Ao completar 60 anos de idade em 17 de Maio deste ano, Bill Bruford anunciou que está largando as baquetas. Bruford tocou “apenas” com o Yes, King Crimson, Genesis, UK e Alan Holdsworth, sem contar, é lógico, sua carreira solo e sua imersão pelo mundo do Jazz com o grupo chamado Earthworks. Recomendo qualquer trabalho deste músico.

Para comemorar suas quatro décadas de carreira, acabam de ser lançadas duas coletâneas. A primeira abrange a fase progressiva do músico (The Winterfold Collection 1978-1986) e a segunda seu trabalho Jazzistico (The Summerfold Collection 1987-2008). Confira!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

quarta-feira, 24 de junho de 2009

The Vocapeople

Não tem dom para tocar um instrumento musical? Acabou a energia elétrica e não dá para ligar o amplificador ou o teclado? O dólar subiu? Mora em apartamento e não dá para ter uma bateria? A grana tá curta? Quer fazer música? Seus problemas acabaram… veja a solução no vídeo abaixo. :-D

The Vocapeople

domingo, 21 de junho de 2009

Steve Howe

Impossível assistir a um show do Yes e não se impressionar com a técnica e bom gosto de seus componentes. Nas cordas (e fazendo parte da formação mais clássica da banda) temos um dos maiores mestres das cordas (guitarra, violão, bandolim, etc) que houve na história do rock. Quem conhece um pouco de Jazz pode perceber em Howe a influência de Wes Montgomery e, principalmente, Chet Atkins (usando uma técnica conhecida como “chiken’ picken” que consiste em tocar algumas notas do instrumento com a palheta e outras com os dedos da mão direita). No primeiro disco solo de Howe (Beginnings – 1975) temos no encarte a foto de todos os instrumentos tocados pelo músico. O cara é sem dúvida uma peça fundamental da história da guitarra progressiva.

Steve Howe em 1975 com o Yes - “The Clap”

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Paradoxo do Nosso Tempo (George Carlin)

Recebi o texto abaixo e gostei. Não sei se a autoria é verídica, mas o que importa é a mensagem.

“Nós bebemos demais, gastamos sem critérios... Dirigimos
rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV
demais e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos
freqüentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos
à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a
rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas
não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo,
mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos
menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais
informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos
comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta;
do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e
relações vazias.
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas
chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral
descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das
pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na
dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te
permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar
'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas
não estarão aqui para sempre.
Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo,
pois não lhe custa um centavo sequer.
Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o)
e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame....
se ame muito.
Um beijo e um abraço curam a dor,
quando vêm de lá de dentro.
Por isso, valorize sua familia e as pessoas que estão ao
seu lado, sempre!!!!!”

domingo, 14 de junho de 2009

Anos 80... parte II

 

 

Lembro que ouvi “Just Can't Get Enough” pela primeira vez em uma fita K7 TDK que ganhei do meu tio. Na realidade nunca fui um grande fã do Depeche Mode, mas admito que curto esse som e alguns trabalhos isolados da banda.

 

 

 

New Order – “Brotherhood”

Ouvi muito esse disco do New Order. Admito que não gostei quando após alguns anos eles lançaram uma versão diferente de “Bizarre Love Triangle”. Ficou mais dance e chata. A versão original era muito melhor.

 

 

 

Um dos guitarristas mais polêmicos e controversos da história da guitarra, Malmsteen marcou a vida guitarrística de muitos de minha geração. O cara tocava, e ainda toca,  mil notas por segundo, faz malabarismos com o instrumento, e outras coisas que os adolescentes adoram ver. Ainda tenho muitos de seus cds, mas faz muito tempo que não os ouço. Ele infelizmente caiu na mesmice. Seus 2 ou 3 primeiros discos foram clássicos e influenciaram muita gente.

 

 

 

Rock`n Rio - 1985

Eu era criança mas lembro muito bem do tema de abertura (cantado pelo Roupa Nova) e do evento. Nunca no Brasil tivemos tantos músicos e bandas famosas de rock (e de qualidade) tocando no mesmo festival. Monstros como Yes, Queen, Iron Maiden e Ozzy Osbourne estiveram lá. Quem foi deve ter o ingresso guardado a sete chaves até hoje.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Um Cláaaaaaaaaaaaaaassico!!

Resolvi começar o mês de Junho postando um dos mais legais e memoráveis desenhos que marcaram minha infância. Lógico que tem uma musica envolvida, embora seja bem curtinha, hehehe

Picolino - “O pico da canção de ninar” - 1955

domingo, 24 de maio de 2009

Zé Rodrix e Zé Lino

A vida realmente é uma enorme caixa de surpresas e emoções. Desde criança sempre fui maníaco por música. Meu pai tinha uma vitrola pequena e azul. Eu, mesmo antes de saber ler e escrever, já sabia trocar a agulha do aparelho e colocar os Lps para tocar. Analisando hoje em dia vejo que meu pai era bem eclético: Ouvia de Trio Nordestino a Ivan Lins (esse por sinal, era quem mais o emocionava. Ele gostava de me ouvir dedilhar no violão a música “A Bandeira do Divino”, e eu, é lógico, para fazer média com o velho de vez em quando tocava esse som).

Lembro particularmente de um compacto que eu curtia muito, principalmente porque achava engraçado. Assim que aprendi a ler vi que o compacto era de um tal de Zé Rodrix. A música que tanto nos divertia era uma tal de “Quando Será?”. Até hoje eu sei a letra decor e salteado.

Na minha adolescência, eu e um amigo encontramos, por uma coincidência, essa música em um Lp coletânea na casa dele e eu gravei a música (junto com outras clássicas do Roberto Carlos) e dei de presente para o meu pai. Ele curtiu muito… onde será que anda essa fita? hmmm

Bom, ontem fiquei sabendo (atrasado) que Zé Rodrix se juntou a meu pai… imediatamente (inevitável né?) muitas coisas voltaram a minha mente, lembranças, emoções…

Zé Rodrix foi uma pessoa importantíssima na história de nossa música. O cara fez parte do Som Imaginário. Uma banda que possui três discos muito bons, sendo que só o primeiro tem participação de Rodrix. O Som Imaginário foi criado para acompanhar Milton Nascimento em seus shows ao vivo. Te uns intrumentais fantásticos. Vale a pena conhecer!

Sobre o grupo “Sá, Rodrix e Guarabira” então, considere audição obrigatória. A música “Cumpadre meu” é um hino do chamado rock rural. Essa música por sinal chegou a tocar no início da rádio Kiss FM’. Outro clássico é “A primeira canção da estrada”.

Outra grande participação de Rodrix foi com a banda Joelho de Porco (assisti a um show deles há pouco tempo… hilário e rock`n roll).

Dentre as grandes obras deste grande compositor temos a inesquecível “Casa no campo”, imortalizada na voz de Elis Regina.

Bom, ambos os Zés não estão mais entre nós mas deixaram muitas lições e saudades…

Sá, Rodrix e Guarabira – Primeira Canção da Estrada

Como podemos educar assim?

Uma imagem vale mais do que mil palavras, e essa charge que acabei de receber por e-mail retrata o que grande parte de nós educadores passamos nos dias atuais. Deprimente!

Figura1

terça-feira, 19 de maio de 2009

The Undertones

Essa banda foi um dos grandes nomes do movimento Punk. Era formada por dois irmãos irlandeses e emplacaram sucessos na Inglaterra e na Irlanda, excursionando inclusive com o The Clash. Me parece que há alguns anos voltaram a se apresentar na Europa, talvez embalada pelo retorno do Sex Pistols. O vídeo abaixo tem o maior sucesso da banda, considerado por alguns uma música Pop. Segundo o baixista Michael Bradley “a música não era Pop. Pop seria o Abba”, hehe… Sobre o movimento Punk no Brasil, sugiro ouvir o disco coletânea “Ataque Sonoro”. O movimento Punk nunca há de morrer…

The Undertones – Teenage Kicks

sábado, 16 de maio de 2009

Mais Elis: Supergrupo!

Aqui está: Elis, Cesar, Luizão, Chico, Hélio e Paulo! Uau…
Elis Regina – Montreux Jazz Festival – 1979 – Medley Milton Nascimento

domingo, 10 de maio de 2009

Elis Regina Carvalho Costa

Parem tudo! Eu estava preparando um post quando comecei a assistir o DVD “Elis Regina Carvalho Costa”, lançado recentemente pela Trama em parceria com a Som Livre. O show faz parte do arquivo da Rede Globo de Televisão (que por sinal tem muita coisa boa, bem diferente da programação atual).

Assistindo a apenas 10 minutos do DVD (que começa com uma quebradeira fantástica da banda sob regência do grande Cesar Camargo Mariano) não resta dúvida: A gengivinha foi uma das melhores cantoras e intérpretes que já pisou neste planeta. Na minha humilde opinião ninguém neste país chega aos pés de Elis.

Elis ginga, chora, ri e dança sem desafinar um oitavo de nota sequer. Faça um bem para você: OUÇA ELIS!

Muita Gente se esbalda, emociona e se encanta com Maria Rita (filha de Elis e Cesar). Eu também gosto muito dela. Assistindo a este DVD é possível compreender porque Maria tem esse talento: Papai e Mamãe simplemente detonam!

Elis também teve a oportunidade de tocar com um dos melhores grupos já formados no Festival de Jazz de Montreux de 1979: Cesar Camargo Mariano (teclados), Luizão Maia (baixo), Hélio Delmiro (guitarra), Paulo Braga (bateria) e Chico Batera (percussão). Três anos depois de Montreux perdemos Elis :-(

O que vou colocar abaixo é uma amostra da capacidade de Elis. Neste mesmo festival o grande Hermeto Pascoal toca junto com a pimentinha. Hermeto desafia Elis e vai mudando o arranjo da música Corcovado e improvisando. Elis aceita o desafio. Os vencedores da batalha: Nós!

PS: Tente perceber o que Elis diz para Hermeto aos 4:03 minutos. Algo digamos… sutil, hehe

Elis e Hermeto – Montreux (1979)

domingo, 3 de maio de 2009

A, B, C… 1, 2, 3… Do, Re, Mi…

Aproveitando que o assunto é Funk/Soul e os 50 anos da gravadora Motown lembrei da minha infância e de um desenho clássico que passava na TV Record. Sim, são eles: Michael, Jermaine, Tito, Jackie e Marlon – “The Jackson Five”. A abertura tinha uma mixagem de clássicos da banda (ABC, I Want You Back, Mama’s Pearl…). Eita saudade!

Abertura do desenho “Jackson 5”

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Isto é Funk, ah ha…

O “Average White Band” é um dos melhores grupos de Funk da década de 70. Você possivelmente já ouviu “Pick up the Pieces” em algum lugar. Essa banda e esse som são simplesmente demais. O “Funk Como Le Gusta” costuma tocar essa música em seus shows. Também vale a pena conhecer a versão da “Phil Collins Big Band” para o mesmo clássico. De novo a guitarra rítmica marcante, a metaleira precisa e a cozinha (baixo e batera) só no groove!

PS: O vídeo abaixo foi gravado no aniversário de 40 anos da gravadora Atlantic (1988). Note no fundo do palco as fotos de vários de seus artistas. Só feras!

Average White Band – Pick up the pieces

sábado, 25 de abril de 2009

Isto é Soul.

De tanto ouvir chamarem o que não é Soul Music de Soul Music e o que não é Funk de Funk, resolvi dedicar alguns posts dando exemplos do que considero ser Soul Music e o legítimo Funk. Percebam a guitarra swingando, a metaleira fazendo um tempero muito do bom e a senhora Jean Knight matando a pau. O baixo e a batera são, respectivamente, o sangue e o coração desse tipo de som.

PS1: Se você ouvir essa música e, pelo menos, não bater o pezinho corra para o hospital! :-D

PS2: O rapper Thaide e DJ Hum fizeram um rap em cima desse tema. Chama-se “Que Tempo Bom”.

PS3: No You Tube colocaram na descrição do vídeo que Jean Knight é um cantor! Acho que dá para perceber que se trata de umA ótimA cantorA.

Jean Knight – Mr. Big Stuff

terça-feira, 21 de abril de 2009

Sala dos Professores

Todos os dias as 19h na Rádio Eldorado (92,9 FM) é exibido um programa de ótima qualidade chamado “Sala dos Professores”. O programa é apresentado por Daniel Daibem. O que Daniel faz em seu programa é divulgar e mostrar elementos da música instrumental, Jazz, Blues, Funk e  outros gêneros musicais. O interessante é que ele faz isso em linguagem simples e adequada principalmente para não músicos. Abaixo eu coloquei uma entrevista do cara. Vale a pena ouvir e refletir sobre o que pensa Daibem.

Uma curisodade: Daniel já teve uma banda de Death Metal. Ele era o guitarrista. :-D

Daniel Daibem –  Parabéns!

domingo, 19 de abril de 2009

Um Grande Funk no Rock!

É difícil acreditar mas muita gente que se diz conhecedora de música e que aprecia um bom rock desconhece essa banda: Grand Funk Railroad. Se você faz parte deste grupo fique feliz porque você possivelmente vai ter vários momento prazerosos ouvindo e descobrindo o som da banda. É um “Rock com Molho” muito bom. Recomendo fortemente conhecer o trabalho desses caras. A cozinha (baixo e batera) é muito criativa e marcante. Bom, só pelo visual dos músicos já dá para perceber que tem groove na parada.

Sugestão: comece ouvindo o álbum vermelho da banda. Muito bom!

Grand Funk Railroad - Footstompin` Music (ao vivo)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Obrigado, João!

Impressionante esse João Bosco! Percebam a naturalidade com o que ele toca, canta, sorri e se diverte fazendo música. Um dos melhores e maiores músicos de nossa história. Esse vídeo foi retirado do DVD chamado “Obrigado, Gente”. Esta obra é imperdível!! O DVD conta com a participação de Hamilton de Holanda, Guinga, Yamandú Costa, entre outros. Foi gravado no Auditório Ibirapuera, em São Paulo.

Hamilton de Holanda é outro fenômeno: um músico virtuoso e brilhante. Já tive o prazer de vê-lo tocando ao vivo em duas ocasiões. O cara é fera, além de possuir uma humildade sem igual no palco. Nada de nariz empinado, apenas boa música.  Fui um dos que fiquei inconformado com a 3a. colocação de Hamilton na primeira edição do Prêmio Visa (1988). A platéia inteira vaiou e com razão.

Com todo o respeito, mas quem somente fala mau de nossa MPB precisa ter uma overdose desses mestres. Não perdem em nada para muito músico gringo tarimbado.

João Bosco e Hamilton de Holanda – Linha de Passe (ao vivo)

terça-feira, 14 de abril de 2009

Um grande encontro!

Que tal procurar grandes figuras da nossa MPB na foto abaixo? Edu Lobo, Dorival, Caetano, Paulinho da Viola, Vinícius, Chico, Tom Jobim, Miucha… Bom divertimento!

PS: Já imaginou como seria uma foto desse tipo com os atuais nomes de nossa música? :-P

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Rutherford, Bohr e Ariano!

Tentaram convencer musicalmente o Ariano Suassuna (dramaturgo e escritor)! Bom… veja, ouça e se divirta. Essa vale um prêmio! :-D

Ariano Suassuna

domingo, 5 de abril de 2009

Firth of Fifth

Essa música tinha que ser colocada dentro de uma cápsula e mandada para o espaço! Se algum ser de outro planeta encontrá-la  seria a prova de que existe vida inteligente na Terra. Tem um dos solos mais lindos da história do Rock, na minha opinião, é claro. Não é o Peter Gabriel nos vocais, mas Phil Collins manda bem. Veja como o cara é um exímio baterista.

Uma curiosidade: A versão original (com PG nos vocais) tem uma introdução linda de teclado. Tony Banks disse que uma vez errou a introdução ao vivo e por isso nunca mais a tocou novamente nos shows.  Na versáo original também tem a flauta transversal tocada por PG. Ao vivo, essa parte é feita por Tony.

Perceba o climax da música com o solo da guitarra e as duas bateras. O outro baterista é Chester Thompson (que já tocou no Weather Report e com o Frank Zappa!). The path is clear…

PS: o nome da música é uma brincadeira com com o nome “Firth of Forth” (literalmente Estuário Adiante), um grande estuário localizado na costa oeste da Escócia, próxima a capital Edimburgo. "Forth" (adiante) é de mesma pronúncia que a palavra Fourth (quarto), enquanto que o Fifth do título significa "quinto". Sacou?

Genesis – Firth of Fifth (live)

sábado, 4 de abril de 2009

O Menestrel!

Impossível ouvir Jethro Tull e não imaginar um cenário medieval ou os ratinhos correndo atrás do flautista mágico. :-D

Ian Anderson é um ótimo flautista além, é claro, de ser doidinho de pedra.

 

Uma curiosdade: Tomy Iommi, guitarrista do Black SAbbath, tocou com o Jethro Tull no Rock'n'Roll Circus dos Rolling Stones (1968).

Jethro Tull – Songs From The Wood (1977)

quinta-feira, 2 de abril de 2009

O melhor!!

Essa é a música e esse é o cara! Até hoje nunca consegui ouvi-la sem que meus olhos se enchessem de lágrimas. Divina! Minha admiração por Egberto Gismonti está inclusive registrada eternamente em minha dissertação de mestrado. Sem palavras para esse gênio! Ainda consigo assistir a um show seu, ah se consigo… sua capacidade de improvisação e feeling são únicos.
PS: Clara, essa foi, é e sempre será a nossa música! Impossível ouvir a versão original com as gargalhadas das crianças e não lembrar de quem mais amo no mundo. Beijos eternos.

Egberto Gismonti – Palhaço (ao vivo)

sábado, 28 de março de 2009

M & N

Um amigo historiador considera Milton Nascimento não apenas um grande compositor e músico de nossa MPB, mas também um movimento musical. Acho que ele tem razão. Acompanhado de Naná, um dos maiores percussionistas do mundo (que para variar é brasileiro), Milton faz uma intepretação de emocionar até pedra! BOM DEMAIS!

Milton Nascimento e Naná Vasconcelos – San Vicente (1988)

Olha o Fantasma.

Acho que a  coitada da minha mãe não aguentava mais me ouvir tocando, ou melhor, tentando tocar “Phanton of The Opera” do Iron Maiden. Eu adorava e ainda adoro esse som! É do primeiro álbum da banda, lançado em 1980.

Depois de alguns anos fui ajudar um amigo a comprar uma guitarra na rua Teodoro Sampaio em SP. Ao testar a guitarra toquei um pouco dessa obra do Heavy Metal inglês e o vendedor pirou: disse que era a música que ele mais curtia do Iron! Bom, se ele mentiu não sei, mas que meu amigo comprou a guitarra, isso ele comprou, hehe

Iron Maiden - “Phanton of the Opera”

Os 100 melhores discos de Música Brasileira, segundo a revista Rolling Stones.

Embora a revista seja de outubro de 2007, vale a pena olhar, conhecer, lembrar, discutir, comentar, etc, etc… fique a vontade! Sei que escolher os melhores é algo realmente difícil, mas na minha opinião eles colocaram coisas muito boas na lista. É lógico que algumas poucas citações, na minha opinão, seriam dispensáveis... mas ninguém é perfeito, náo é?

Perceba que o período mais representado é a década de 70. Para variar, não é mesmo?

  1. Acabou Chorare - Novos Baianos (1972)
  2. Tropicália ou Panis et Circensis - Vários (1968)
  3. Construção - Chico Buarque (1971)
  4. Chega de Saudade - João Gilberto (1959)
  5. Secos e Molhados - Secos e Molhados (1973)
  6. A Tábua de Esmeralda - Jorge Ben (1972)
  7. Clube da Esquina - Milton Nascimento & Lô Borges (1972)
  8. Cartola - Cartola (1976)
  9. Os Mutantes - Os Mutantes (1968)
  10. Transa - Caetano Veloso (1972)
  11. Elis & Tom - Elis Regina e Antônio Carlos Jobim (1974)
  12. Krig-Ha Bandolo - Raul Seixas (1973)
  13. Da Lama ao Caos - Chico Science & Nação Zumbi (1994)
  14. Sobrevivendo no Inferno - Racionais MC’s (1998)
  15. Samba Esquema Novo - Jorge Ben (1963)
  16. Fruto Proibido - Rita Lee (1975)
  17. Racional Volume 1 - Tim Maia (1975)
  18. Afrociberdelia - Chico Science & Nação Zumbi (1996)
  19. Cabeça Dinossauro - Titãs (1986)
  20. Fa-Tal - Gal a Todo Vapor - Gal Costa (1971)
  21. Dois - Legião Urbana (1986)
  22. A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado - Os Mutantes (1970)
  23. Coisas - Moacir Santos (1965)
  24. Roberto Carlos em Ritmo de Aventura - Roberto Carlos (1967)
  25. Tim Maia - Tim Maia (1970)
  26. Expresso 2222 - Gilberto Gil (1972)
  27. Nós vamos Invadir Sua Praia - Ultraje a Rigor (1985)
  28. Roberto Carlos - Roberto Carlos (1971)
  29. Os Afro-Sambas - Baden Powell, Quarteto em Cy e Vinícius de Moraes (1966)
  30. A Dança da Solidão - Paulinho da Viola (1972)
  31. Carlos, Erasmo - Erasmo Carlos (1970)
  32. Pérola Negra - Luis Melodia (1973)
  33. Caymmi e Seu Violão - Dorival Caymmi (1959)
  34. Loki? - Arnaldo Baptista (1974)
  35. Estudando o Samba - Tom Zé (1976)
  36. Falso Brilhante - Elis Regina (1976)
  37. Caetano Veloso - Caetano Veloso (1968)
  38. Maria Fumaça - Banda Black Rio (1977)
  39. Selvagem? - Os Paralamas do Sucesso (1986)
  40. Legião Urbana - Legião Urbana (1985)
  41. Meus Caros Amigos - Chico Buarque (1976)
  42. O Bloco do Eu Sozinho - Los Hermanos (2001)
  43. Refazenda - Gilberto Gil (1975)
  44. Mutantes - Os Mutante (1969)
  45. Raimundos - Raimundos (1994)
  46. Chaos A.D. - Sepultura (1993)
  47. João Gilberto - João Gilberto (1973)
  48. As Aventuras da Blitz - Blitz (1982)
  49. Racional Volume 2 - Tim Maia (1976)
  50. Revolver - Walter Franco (1975)
  51. Clara Crocodilo - Arrigo Barnabé (1980)
  52. Cartola - Cartola (1974)
  53. O Novo Aeon - Raul Seixas (1975)
  54. Refavela - Gilberto Gil (1977)
  55. Nervos de Aço - Paulinho da Viola (1973)
  56. Amoroso - João Gilberto (1977)
  57. Roots - Sepultura (1996)
  58. Antônio Carlos Jobim - Tom Jobim (1963)
  59. Canção do Amor Demais - Elizeth Cardoso (1958)
  60. Gil e Jorge Ogum Xangô - Gilberto Gil e Jorge Ben (1975)
  61. Força Bruta - Jorge Ben (1970)
  62. MM - Marisa Monte (1989)
  63. Milagre dos Peixes - Milton Nascimento (1973)
  64. Show Opinião - Nara Leão, Zé Kéti e João do Vale (1965)
  65. Nelson Cavaquinho - Nelson Cavaquinho (1973)
  66. Cinema Transcendental - Caetano Veloso (1979)
  67. África Brasil - Jorge Ben (1976)
  68. Ventura - Los Hermanos (2003)
  69. Samba Esquema Noise - Mundo Livre S/A (1994)
  70. Getz/Gilberto Featuring Antônio Carlos Jobim - Stan Getz, João Gilberto e Antônio Carlos Jobim (1963)
  71. Noel Rosa e Aracy de Almeida - Aracy de Almeida (1950)
  72. Jardim Elétrico - Os Mutantes (1971)
  73. Angela Ro Ro - Angela Ro Ro (1979)
  74. O Blésq Blom - Titãs (1989)
  75. Tim Maia - Tim Maia (1971)
  76. A Bad Donato - João Donato (1970)
  77. Canções Praieiras - Dorival Caymmi (1954)
  78. Gilberto Gil - Gilberto Gil (1968)
  79. Álibi - Maria Bethânia (1978)
  80. Gal Costa - Gal Costa (1969)
  81. Psicoacústica - Ira! (1988)
  82. O Inimitável - Roberto Carlos (1968)
  83. Matita Perê - Tom Jobim (1973)
  84. Qualquer Coisa/Jóia - Caetano Veloso (1975)
  85. Jovem Guarda - Roberto Carlos (1965)
  86. Beleléu, Leléu, Eu - Itamar Assumpção e Banda Isca de Polícia (1980)
  87. Verde Anil Amarelo Cor de Rosa e Carvão - Marisa Monte (1994)
  88. Nada Como Um Dia Após O Outro Dia - Racionais MC’s (2002)
  89. Carnaval na Obra - Mundo Livre S/A (1998)
  90. Quem é Quem - João Donato (1973)
  91. Cantar - Gal Costa (1974)
  92. Wave - Tom Jobim (1967)
  93. Lado B, Lado A - O Rappa (1999)
  94. Vivendo e Não Aprendendo - Ira! (1986)
  95. Boces Bárbaros - Gil, Bethânia, Caetano e Gal (1976)
  96. A Sétima Efervescência - Júpiter Maçã (1996)
  97. Araçá Azul - Caetano Veloso (1972)
  98. Elis - Elis Regina (1972)
  99. Revolução por Minuto - RPM (1985)
  100. Circense - Egberto Gismonti (1980)